IFF/Fiocruz realiza ações de prevenção de Lesão por Pressão

No dia 19 de novembro foi comemorado o Dia Mundial de Prevenção de Lesão por Pressão (PLP). A data foi instituída para sensibilizar pacientes, familiares e profissionais de saúde sobre a importância da prevenção desse evento adverso. Levantamento da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mostra que dos mais de 134 mil incidentes notificados, 17%, corresponderam às lesões por pressão, no período de 2014 a 2017. Os dados revelam ainda que a lesão por pressão é o terceiro tipo de evento mais frequentemente notificado pelos serviços de saúde do país, além disso, a Organização Mundial de Saúde (OMS) relata que é a quinta principal causa de morte no mundo.

Neste sentido, o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) atua ativamente em medidas de redução de lesões por pressão no ambiente hospitalar. Para a melhor potencialização do trabalho, foi criado, através da Unidade de Pacientes Graves (UPG) em parceria com o Núcleo de Qualidade, Segurança do Paciente e Gerência de Risco (Qualiseris) e o Ambulatório de Estomaterapia, um time de Prevenção de Lesão por Pressão.

A iniciativa tem como objetivo rever e supervisionar protocolos institucionais de prevenção e tratamento de lesões por pressão, seguindo os padrões do Programa Nacional de Segurança do Paciente, promovido pelo Ministério da Saúde (MS) e monitorado pela Anvisa. Segundo a médica Claudia Tavares Regadas, do Qualiseris, já foram implementadas na UPG ações para avaliação do risco de o paciente desenvolver lesão por pressão. As ações de prevenção oferecidas em bundles, (uma forma estruturada de melhorar os processos e os resultados dos cuidados com os pacientes) são implementadas de acordo com o risco, padronização da avaliação da pele e classificação das lesões. Essa análise envolve o uso de escalas internacionais validadas e baseadas em informações clínicas”, ressaltou.

Os sistemas de saúde identificaram a ocorrência de lesão por pressão como uma morbidade frequente, de alto custo de tratamento, incluindo prolongamento do tempo de internação e risco de infecção, e cuja prevenção pode ser realizada com medidas simples, baratas e efetivas. Por estes motivos sua prevenção foi acrescida às seis metas originais de segurança do paciente. São elas: identificação do paciente; comunicação efetiva dentro da equipe e desta com o paciente; segurança de medicamentos; cirurgia segura; prevenção de infecções relacionadas à assistência, principalmente pela higienização das mãos; e prevenção de quedas.

O diagnóstico da lesão por pressão é simples: basta inspecionar a pele diariamente observando presenças de áreas avermelhadas geralmente em região de proeminências ósseas (quadril, calcanhares, região dorsal) e que não embranquece ao realizar pressão sobre a mancha. “Atuamos na promoção de ações de padronização da prevenção dessas lesões, levando à diminuição de sua ocorrência entre os pacientes internados no IFF/Fiocruz, além da capacitação de pacientes sob risco e de seus cuidadores nesta prevenção. Orientamos também no tratamento das lesões para que ele seja instituído de forma adequada e o mais breve possível, nos estágios iniciais das lesões”, finalizou Claudia Regadas.
Acesse o link da página do PROQUALIS com os materiais referentes à prevenção de LPP.

Informações Adicionais