Celebração do Dia Mundial de Doação de Leite Humano visa mobilizar as doações mesmo durante a pandemia

Na terça-feira (19/5) foi comemorado o Dia Mundial de Doação de Leite Humano, ocasião onde ocorreu o lançamento da campanha do Ministério da Saúde para estimular às doações do alimento vital. A Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH) liderou um evento virtual, respeitando o atual cenário de isolamento social, em que o objetivo central foi compartilhar as experiências sobre a doação durante a atual conjuntura do coronavírus (Covid-19), que contou com a a participação de países da Latino-América, o Caribe, Ibero-América, a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e de todas as Unidades Federativas do país.



Webconferência marcou o Dia Mundial de Doação de Leite Humano (19/5)

Neste ano, mesmo com as dificuldades que trouxe o enfrentamento da Convid-19, a rBLH não podia deixar passar em branco a data, pois, hoje, mais do que nunca, a sociedade deve compreender que a doação de leite materno é um processo seguro para todos os envolvidos (mães, bebês e trabalhadores da saúde), e os bebês prematuros ou de baixo peso internados nas Unidades de Terapias Intensivas (UTIs) dos hospitais continuam precisando dessas doações para o seu desenvolvimento e alta precoce.


A campanha do MS visa estimular as doações durante todo o ano

O evento também contou com a participação de representantes da rede Brasileira de Bancos de Leite Humano (rBLH-BR), da Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e do Ministério da Saúde (MS) que, através da webconferência, lançou a campanha nacional de doação de leite humano 2020 sob o slogan ‘Nessa corrente pela vida, cada gota faz a diferença’.



Vídeo oficial da campanha do MS, de doação de leite humano 2020

Pelo Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) – sede do Centro de Referência da rBLH -, o diretor, Fábio Russomano, reconheceu o trabalho da Rede como pioneira nessa missão de prover aos bebês a alimentação primordial para seu desenvolvimento, e parabenizou a rBLH, pelos 10 anos da assinatura do documento ‘Carta de Brasília 2010’, que instituiu o 19 de maio como Dia Mundial de Doação de Leite Humano.

“A doação de leite materno, importante ação de segurança alimentar para bebês prematuros que dela dependem para sobreviverem, ganha especial atenção no contexto da emergência sanitária. Podemos assegurar às doadoras e mães de bebês atendidos que todas as medidas de precaução da transmissão do novo coronavírus estão sendo tomadas e que, não há risco de transmissão da Covid-19 no processo. Assim, devemos continuar a estimular essa ação solidária que salva vidas, mesmo em tempos de distanciamento social”, destacou ele.

Sobre o evento inovador, o coordenador da rBLH e prêmio Dr. Lee Jong-wook de Saúde Pública 2020 da Organização Mundial da Saúde (OMS), João Aprígio Guerra de Almeida, comentou “em meus 36 anos de trabalho com Bancos de Leite Humano e Aleitamento Materno no Brasil e no exterior, nunca tomei conhecimento de uma iniciativa como a que demos início no último dia 19 de maio. Uma mobilização de caráter nacional e internacional, composta por eventos interativos, realizados em tempo real, via internet, com a participação efetiva de todas as Unidades Federativas do Brasil, incluindo também os países da CPLP e da Ibero-América. Não podemos esquecer ainda, que tudo está sendo gravado, documentado e será devidamente socializado. Mais um produto dessa grande obra coletiva que é a nossa rBLH”.


Abaixo e à esquerda, o coordenador da rBLH, João Aprígio Guerra de Almeida durante a webeconfêrencia com representantes dos BLH da CPLP

Doe leite

O leite materno não pode ser comprado e qualquer quantidade doada faz a diferença para muitos bebês prematuros e de baixo peso internados nas UTIs Neonatais, por isso a importância da doação. “O leite humano é o melhor alimento de maneira exclusiva de zero aos seis meses, e de forma continuada até os dois anos e meio. A literatura científica demostra que bebês alimentados assim têm menor risco de infecções, diarreias, alergias e criam uma memória biológica saudável, capaz de prevenir doenças como a diabetes e cardiopatias na vida adulta”, comentou sobre os benefícios do leite materno, a coordenadora do Banco de Leite Humano (BLH) do IFF/Fiocruz, Danielle Aparecida da Silva.

Se você é saudável e está na fase de amamentação, pode doar leite materno, só precisa entrar em contato com o BLH mais próximo da sua casa. Pode verificar a localização em www.rblh.fiocruz.br ou ligar para 0800 026 8877 e se cadastrar como doadora. “Doar leite humano é muito fácil, sempre foi e continua sendo seguro, porque temos que proteger os bebês. A rBLH sempre alinhou seus processos com as normas de biossegurança e, neste momento, seguimos realizando a coleta domiciliar das doações com toda segurança”, pontuou Danielle.

As mobilizações em favor da doação de leite materno continuam no Brasil até o sábado 30 de maio, por meio de vários eventos em rede, conforme as orientações de distanciamento social da OMS, mas com a motivação da necessidade de ampliar os estoques nos Bancos de Leite de todo o país.

 

Informações Adicionais