Alimentação e Covid-19: o que você precisa saber

Entre as muitas dúvidas recorrentes na população diante do novo coronavírus (Covid-19), encontram-se as relacionadas à alimentação. Hoje, são muitas as mensagens que circulam pelas redes sociais com promessas de receitas milagrosas ou que associam a ingestão de alguns alimentos com a prevenção ou cura desse vírus, mesmo sem existir evidências científicas para tais afirmações. Em todo caso, manter uma alimentação saudável com outros bons hábitos, pode sim ajudar no fortalecimento do sistema imune das pessoas, o que pode ser útil no combate contra qualquer tipo de doença. No entanto, não chega ser considerada como uma medida preventiva ou de tratamento na infeção por Covid-19.

É importante estar bem informado para não contribuir com divulgações falsas que podem ser até arriscadas para o bem-estar do ser humano. Assim, o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) reforça o trabalho do Ministério da Saúde para combater as Fake News em tempos tão difíceis de pandemia como os atuais. Com esse objetivo, a coordenadora do Núcleo de Alimentação, Saúde e Ambiente (Nasa) da Fiocruz, Wanessa Natividade Marinho, junto à nutricionista do Nasa, Débora Oliveira, esclarecem algumas dúvidas comuns ao falar sobre alimentação e coronavírus:

Existem alimentos ou bebidas capazes de ajudar na prevenção e/ou cura da Covid-19?

Até o momento, não há nenhum medicamento, substância, vitamina, alimento específico ou vacina que possa prevenir e/ou curar a infecção pelo novo coronavírus. Contudo, recomenda-se a prática de uma alimentação mais saudável, baseadas em alimentos in natura e minimamente processados, de acordo com as orientações presentes no Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde.

A recomendação de uma alimentação saudável para fortalecer a imunidade serve em tempos de Coronavírus? Como seria essa alimentação?

Bons hábitos, como o consumo de alimentos saudáveis, a ingestão de quantidade de água adequada e exercício físico, auxiliam para o fortalecimento do sistema imune e nos demais sistemas fisiológicos, faz-se necessário uma alimentação mais natural e variada, como sendo a base das refeições os alimentos in natura e minimamente processados, como os legumes, verduras, frutas, arroz, aveia, leguminosas, como por exemplo o feijão, peixes, carnes, ovos, leite e oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas), conforme as recomendações do Guia Alimentar mencionado acima.

Contudo, sabemos que hoje a medida de prevenção mais efetiva para evitar a transmissão da Covid-19, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é o isolamento social.

Existem alimentos e/ou bebidas contraindicados em caso de suspeita de Coronavírus?

Até o momento, não existe um alimento específico contraindicado em caso da suspeita do Covid-19, o que existe são orientações em casos de comorbidades que tenham relação com o sistema imune, que são as seguintes:

Evite o consumo de gorduras saturadas (presentes na manteiga, bacon, queijos amarelos, carne de boi gorda, toucinho) e gorduras trans (presentes nas margarinas sólidas, nuggets, biscoitos recheados, empanados, congelados industrializados), pois, os consumos desses produtos reduz a atividade das células protetoras e prejudica a resposta imunológica. 

Evite o consumo de bebidas alcoólicas, pois também interferem na resposta imunológica. 

E além desses motivos, os produtos ultraprocessados, que são aqueles alimentos que possuem grandes quantidades de sal, açúcar, gorduras, conservantes e aromatizantes, como por exemplo alguns dos apresentados acima, e ainda caldos industrializados, refrigerantes, sucos de caixinha, mistura para bolo, embutidos e outros, que são pobres em nutrientes e seu consumo está relacionado com o aparecimentos de doenças crônicas não transmissíveis, como por exemplo a hipertensão arterial, diabetes e obesidade, que são considerados fatores de risco para Covid-19.

A Covid-19 pode ser transmitida através de alimentos?

A contaminação dos alimentos pode ocorrer pelo contato na superfície dos alimentos (embalados ou não), objetos e utensílios que tenham sido contaminados por pessoas que estejam sintomáticas ou não. O novo coronavírus pode continuar vivo por horas ou até dias nesses tipos de superfícies, isso continua sendo estudado, por isso, as medidas de higiene são essenciais.

Que medidas podem ajudar a população a se proteger do coronavírus na hora de preparar e comer os alimentos?

A lavagem das mãos e a limpeza de toda área de alimentação devem estar adequadas sempre.

Os alimentos, embalados ou não vindos da rua, devem ser higienizados em casa, e quando possível a embalagem deve ser descartada, por exemplo arroz, açúcar, macarrão esses alimentos podem ser armazenados em potes com tampa.

Para a higienização das embalagens podem ser utilizados sabão e água ou álcool 70% na forma líquida ou gel.

Já para a higienização de hortaliças, frutas, legumes e verduras, segue o passo a passo:

  1. Selecionar, retirando as folhas, partes e unidades deterioradas;
  2. Lavar em água corrente, vegetais folhosos (alface, escarola, rúcula, agrião, etc.) folha a folha, e frutas e legumes um a um;
  3. Colocar de molho por 10 minutos em água clorada, utilizando produto adequado para esse fim (ler o rótulo da embalagem), na diluição de 200 ppm (1 colher de sopa para 1 litro);
  4. Enxaguar em água corrente vegetais folhosos, folha a folha, e frutas e legumes um a um;
  5. Fazer o corte dos alimentos para a montagem dos pratos com as mãos e utensílios bem lavados;
  6. Manter sob refrigeração em recipiente devidamente tampado até o momento de servir.

Lembrando que a higienização dos alimentos e embalagens é importante na prevenção do Covid–19 e para evitar possíveis doenças causadas por alimentos.

Para mais informações consulte o Guia de orientações em relação à alimentação e exercício físico diante da Covid-19.

 

Informações Adicionais